Autor: Pedro Failla

Luz engarrafada

Postado em Atualizado em

Alfredo Moser, mecânico em Uberaba, cidade mineira a quase 500 km de Belo Horizonte teve uma ideia genial e simples para iluminar sua casa durante uma queda de energia em 2002.

A ideia virou a Lâmpada Moser, uma garrafa plástica cheia de água fixada em um buraco feito nas telhas da casa. Água sanitária é adicionada para manter a transparência, quanto mais limpo estiverem água e garrafa melhor. As garrafas são presas com cola de resina, que segundo o inventor impede vazamentos mesmo na chuva.

Moser diz que medições feitas por um engenheiro indicam que cada garrafa equivale a lâmpadas de 40 a 60 watts dependendo do sol obviamente e não emite CO2. Para comparação uma lâmpada deixa em média uma pegada de carbono 0,45kg CO2 em sua fabricação e mais 200kg por ano para funcionar.

O funcionamento é baseado na refração da luz, que é a mudança de velocidade da luz que ocorre quando a luz atravessa meios com densidades diferentes. Assim os raios de luz alteram sua trajetória ao passar pela garrafa com água e se espalham pelo cômodo.

Em 2011 a fundação Filipina My Shelter adotou a Lâmpada de Moser e iniciou o projeto Liter of Light que levou a invenção a 140.000 casas e deu visibilidade mundial ao projeto.

Em 2013 a organização voluntária Change levou a ideia para as favelas de Dhaka em Bangladesh onde a maioria das residências não tem energia nem janelas. Algumas dificuldades foram enfrentadas, alguns moradores resistiram inicialmente a ideia alegando que estavam se sentindo mais pobres ainda garrafas como lâmpadas e também foi necessário realizar a cobrança de um pequeno valor (3kg de arroz) pois a comunidade tinha dificuldade em aceitar que algo benéfico a eles estava sendo dado de graça.

Estima-se que a invenção é usada em 1 milhão de casas espalhadas pelo mundo em países como Filipinas, Bangladesh, Índia, México e Colômbia.

E quando você irá contar ao mundo a sua ideia?

Fonte: BBC Brasil, BBC, Wikipedia

Cabeleireiro muda a vida de crianças com cancêr

Postado em

20141117103009766376e
Alexandra Munoz de 5 anos Foto: Rodrigo Garrido/Reuters

Um dos efeitos colaterais da luta contra o câncer é a queda de cabelos. Nos adultos já abala a autoestima de alguns pacientes, nas crianças o efeito pode ser mais devastador ainda.

Marcelo Avatte, cabeleireiro em Santiago no Chile, sentiu na pele o problema quando seu filho perdeu o cabelo durante sessões de quimioterapia em 2009.

Desde então iniciou um projeto que já doou mais de 300 perucas para crianças e adolescentes em hospitais de Santiago. Marcelo usa o salão e a própria casa para a confecção das perucas.

Fonte: Correio Braziliense

Diagnóstico precoce do Alzheimer

Postado em Atualizado em

FOTO: WIKIMEDIA COMMONS
FOTO: WIKIMEDIA COMMONS

Cientistas do Centro Japonês de Geriátricos e Gerontologia em parceria com a Shimadzu (em português), liderados por Koichi Tanaka (em inglês), ganhador do Prêmio Nobel de Química em 2002, confirmaram a eficácia de uma nova técnica para o diagnóstico do Alzheimer em estágios iniciais.

Leia o resto deste post »

Animação brasileira conquistando o mundo

Postado em Atualizado em

O menino e o mundo - Foto: Divulgação
O menino e o mundo – Foto: Divulgação

A animação brasileira O menino e o mundo recebeu o Prêmio Cristal de longa-metragem no 38º Festival de Annecy, na França.

O longa conta a história de um menino que descobre um mundo fantástico dominado por máquinas-bichos e outros seres estranhos.

O Festival, considerado o mais importante da animação, aconteceu de 9 a 14 de junho com 236 filmes de 73 países e a animação dirigida por Alê Abreu também ganhou o Prêmio do Público.

Em 2013, o Brasil já havia conquistado o Prêmio Cristal com a animação Uma história de amor e fúria de Luiz Bolognesi.

Fonte: G1

Novembro Azul

Postado em

Testeira_Facebook

Novembro é o Mês Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. Em 2014 serão diagnosticados 69 mil novos casos de câncer de próstata. Se descoberta precocemente a doença tem 90% de chances de cura.

A próstata é uma glândula do sistema reprodutor masculino, que pesa cerca de 20 gramas, e se assemelha a uma castanha. Ela localiza-se abaixo da bexiga e sua principal função, juntamente com as vesículas seminais, é produzir o esperma.

No Brasil, é o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, após os tumores de pele. Acontece quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada. A doença pode demorar a se manifestar, exigindo exames preventivos constantes para não ser descoberta em estágio avançado e potencialmente fatal.

Na fase inicial, ele não apresenta sintomas, e quando os sinais começam, quase 95% dos tumores já se apresentam avançados, sendo muito difícil a cura.

Mesmo na ausência de sintomas, homens a partir dos 50 anos, ou dos 45, se houver histórico familiar, devem ir anualmente ao urologista para realizar o toque retal e fazerem o exame de PSA no sangue. 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal.

Sintomas na fase avançada:

  • Dor óssea
  • Sintomas urinários
  • Queda do estado geral
  • Insuficiência renal
  • Dores Fortes

Fatores de risco:

  • Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos)
  • Histórico familiar
  • Raça (maior incidência entre os negros)
  • Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos
  • Sedentarismo
  • Obesidade

Saiba mais na página do Novembro Azul.

Mais 27 comunidades quilombolas certificadas

Postado em Atualizado em

palmaresA Fundação Cultural Palmares é uma autarquia do Ministério da Cultura responsável por promover e preservar a cultura afro-brasileira. Leia o resto deste post »