conhecimento

O que até o momento já salvou 50 milhões de pessoas? (Vídeo)

Postado em Atualizado em

Soro caseiro salvou aproximadamente 50 milhões de pessoas no mundo!

Duas medidas rasas de açúcar. Uma medida rasa de sal. Um copo com 200 ml de água filtrada ou fervida, essa é a receita do soro caseiro, dada por via oral, para prevenir e combater a desidratação. Trata-se de uma receita fácil, mas, não foi uma descoberta simples.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a diarreia é a segunda principal causa de morte de crianças menores de cinco anos, responsável pela morte de cerca de 760 mil crianças por ano. 

O segredo do soro é o equilíbrio entre os elementos, que permite a reposição de água e sais minerais perdidos com a diarreia e o vômito. A fórmula pode ter salvado até 50 milhões de pessoas.
 
Norbert Hirschhorn, médico que teve um papel fundamental na descoberta destas medidas, relata que a transformação causada pela terapia de reidratação oral é incrível. “Você entra em uma sala e a criança ou o adulto está perto da morte. Eles têm olhos fundos, respiram acelerado, a pele e as unhas estão azuladas. Ver alguém se recuperar é como ver Lázaro voltar dos mortos – um milagre”, diz ele.
 
Para chegar na fórmula exata, o médico, que realiza pesquisas de terapia de reidratação oral desde 1964, trabalhou com os estudos de outros pesquisadores como David Sachar e Robert Phillips, que havia tentado ele próprio, sem sucesso, sua própria mistura anos antes.
 
Hirschhorn
Foto: BBC
Enviado à Bangladesh para ajudar as vítimas de uma grave epidemia de cólera, Hirschhorn tinha que encontrar uma forma de ajudar ao maior número possível de pacientes. Contudo, o tratamento dos infectados, que sofriam com severo quadro de desidratação, era feito por via intravenosa no hospital. O custo era alto e, portanto, inalcançável para muitas pessoas. Na época, então, o médico tinha como objetivo descobrir um tratamento que fosse possível ser administrado por via oral.
 
Baseado nos estudos de seus colegas, Hirschhorn chegou à fórmula certa. Segundo ele,  a medida correta era fundamental. A quantidade maior ou menor de qualquer um dos ingredientes poderia fazer com que a solução não apenas não funcionasse, mas causasse danos mais graves. “As proporções são cruciais. Para obter a absorção ideal de água, você precisa da mesma quantidade de glicose e sódio”, explica Hirschhorn.
 
Após um pequeno estudo, com oito pacientes, no qual a terapia de reidratação foi aplicada usando uma sonda nasogástrica, o médico provou que a combinação funcionava.
 
Reconhecimento
 
A Unicef, fundo da ONU para infância, disse que nenhuma outra inovação médica do século “teve o potencial de evitar tantas mortes em um curto período de tempo e custo tão pequeno”A publicação científica Lancet descreveu a terapia de reidratação oral como “potencialmente o avanço médico mais importante” do século 20.
 
Soro caseiro
 
A função do soro caseiro, dado por via oral, é repor água e sais minerais perdidos com os vômitos e diarreia. A solução deve ser tomada a cada 20 minutos, e após cada evacuação líquida ou vômito. Para evitar erros na concentração, a Unicef orienta a utilização de uma colher-padrão (disponível em todo posto de saúde) que apresenta as medidas para a preparação do soro:
  • duas medidas rasas de açúcar (medida maior da colher-padrão);
  • uma medida rasa de sal (medida menor da colher-padrão);
  • um copo (200ml) de água filtrada e/ou fervida.

Fonte:http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/08/140729_saude_hirschhorn_hb.shtml

 
 

O Poder do Consumidor

Postado em Atualizado em

O MarkUp, de modo simplificado, é a diferença entre o preço de aquisição (ou produção) e o preço de venda. Ou seja, ao comprar um produto em uma loja, você está pagando o valor do produto mais o MarkUp. Interessante que o MarkUp é definido pelo logista (ou pela indústria) e depende é claro de sua sede ao comprar (demanda).

Daí todos recamam: o carro no Brasil é caro! a roupa cara!  assistência técnica ruim e cara! o PS4 absurdamente caro! etc. etc.
O #fatoBom é que o poder de mudar isso está em suas mãos, pelo menos para você e sua família.  Se todos tivermos essa consciência, não só os preços irão baixar, como os serviços irão melhorar.
Veja exemplo desta semana:
Uma loja de acessórios e assistência de celulares estava cobrando R$250,00 e 15 dias para reparar um aparelho, sendo R$150,00 em peça e R$100,00 em serviço. Compramos a peça no Paraná e recebemos pelo correio em 2 dias (custo R$25,00) e efetuamos a troca em 5 minutos. Ou seja, a loja estava cobrando pelo menos 500% de MarkUp e extorquindo R$100,00 dos leigos, além da espera de 15 dias.
Pesquise, veja alternativas, não compre por impulso, reduza o consumo se possível!

Reduzir o consumo significa reduzir o desperdício.
Proteger o bolso e o meio ambiente ao mesmo tempo é #fatoBom.

Imagem de Cachola

Ler Harry Potter reduz preconceito

Postado em Atualizado em

#fatoBom é estimular a leitura.

Além dos benefícios inerentes a leitura, como desenvolvimento pessoal e estimular o pensamento lúdico, a série Harry Potter apresenta mais um bom motivo para ser apresentada assim que possível aos pequenos.

Uma pesquisa publica no Journal of Applied Social Psyhcology conclui que a leitura dos livros da série aumenta em seus leitores o respeito a grupos estigmatizados como homossexuais, imigrantes e refugiados.

O estudo foi realizado com estudantes do ensino primário, secundário e fundamental na Itália e Reino Unido e confirmou a hipótese apresentada. A identificação com o personagem principal, Harry Potter, e a dissociação com o vilão (Voldemort) causam o efeito.

Fonte: Journal of Applied Social Psychology

Para saber mais sobre este #fatoBom é interessante ler Contos da Infância e do Lar, bem como o livro de María Emília Traça (O Fio da Memória, Do Conto Popular ao Conto para Crianças). Parafraseando a história contada por ela no livro, Einstein recomenda “Se quer que seus filhos sejam inteligentes, leia contos de fadas para eles, se quer que sejam ainda mais inteligentes, leia ainda mais contos de fadas para eles.”

Brasil conquista medalhas de bronze em olimpíada de física

Postado em Atualizado em

#fatoBom é disseminar o conhecimento e promover a educação.

Os estudantes Daniel Mitsutani, Matheus Carius Castro, Pedro Jorge Luz Alves Cronemberger, Gabriel Oliveira Martins e Victor da Rocha Sales ganharam medalha de bronze na IPhO 2014 (International Physics Olympiad).

A IPhO é uma Olimpíada Internacional de Física para estudantes do ensino médio realizada anualmente desde 1967. A edição de 2014 teve a participação de 85 países e foi disputada em Astana capital do Cazaquistão.

A próxima edição será disputada em Nova Deli capital da Índia.

Fonte: IPhO 2014

Aprendizado à Distância

Postado em Atualizado em

  O conhecimento aplicado pode nos ajudar a resolver diversos problemas do nosso dia a dia, mas muitas vezes estarmos tão perdidos na correira diária que não conseguimos dar atenção à busca deste conhecimento. Além do aspecto do tempo, buscar este conhecimento nas melhores escolas ou universidades pode não estar ao alcance de muitos, seja pela condição econômica ou até mesmo por não atender aos requisitos para a matrícula.
  Uma pílula de conhecimento pode ser passada neste #fatoBom: o aprendizado à distância evoluiu muito nos últimos anos, com a disponibilização de conteúdos em diversas plataformas e com a participação de grandes instituições de ensino e pesquisa. Nesta modalidade de aprendizado o momento é controlado por você, permitindo que dedique o tempo que conseguir disponibilizar por dia. O custo é virtualmente zero, na maioria das vezes seu tempo e conexão com a internet. Os pré-requisitos são indicados, mas não mandatórios e você pode supri-los aos poucos.
  Abaixo alguns links, boa parte está em inglês. mas é só acionar a legenda do Youtube. Não se restrinja aos links abaixo, o conhecimento é um oceano esperando você para mergulhá-lo!
Khan Academy Brasil: https://pt.khanacademy.org/
EDX Open Courses: https://www.edx.org/
Estes são apenas alguns exemplos, existem muitos mais e isso é um #fatoBom.

Manifesto de Criação

Postado em Atualizado em

  Uma propaganda antiga já perguntava “vai continuar, ou vai desistir?” Até mesmo de forma inconsciente, quantas vezes nos fazemos esta mesma pergunta? Vamos continuar sendo corretos, com tantos corruptos “se dando bem”? Vamos continuar acreditando na política, na polícia, no patrão, etc? Vamos continuar acreditando no outro? Vamos continuar dando duro, podendo morrer brutalmente vítimas da violência urbana?

   No fundo estas perguntas são fruto de uma das mais básicas reações fisiológicas, a descarga de adrenalina que nos leva a um questão crucial, fugir ou enfrentar.

Esta decisão é tomada em um nível inconsciente, afinal se você parar para pensar se correr o bicho pega ou se ficar o bicho vence, você já perdeu. Este nível inconsciente da decisão leva muitos à deserção, mesmo que racionalmente aquele indivíduo tenha um rigor moral que o diga para continuar e enfrentar a situação.

     Muitas vezes o que é transmitido para você influencia de forma definitiva esta decisão. Como exemplo, imagine que um navio enfrenta uma tempestade e todos acreditarem que ele vai afundar, então todos correrão desesperados para os botes e ninguém ficará para evitar que ele afunde. Em outras palavras, quem detém a informação, detém o poder de gerar pânico ou de evitar que o navio afunde.

   Ter informações precisas e adequadas não significa negar a tempestade, nem ignorar o grau de inclinação de um navio, significa saber o que está ocorrendo de forma clara e sem derrotismos, algo como “pode continuar bombeando água que a inclinação não está piorando”. Num navio a informação é relativamente bem controlada pelo capitão, mas no dia a dia não fica tão claro quem está no comando e se tem alguém se beneficiando com o afundamento do nosso navio.

Vivemos um turbilhão de notícias ruins, o tempo todo, tornando nossa realidade uma tempestade e nossa vida um grande stress. Nessa situação o grau de confiança no outro e nas instituições leva a ser racional a deserção, ou seja, até mesmo os de grande rigor moral correm para os botes. É preciso olhar para frente, enxergar o farol que desponta no horizonte. Apontar na direção do farol é papel deste movimento, ser um farol para quem busca também.

Buscar e mostrar boas notícias, #fatoBom a cada dia, um farol de luz na nossa tempestade. Mostrar o que há de bom ao nosso redor, elevar a estima dos membros de diversas instituições que realizam um trabalho muitas vezes invisível. Estamos aqui para ajudá-lo a ver o farol, precisamos de você para nos municiar com notícias relevantes em sua área de atuação. Espalhe este #fatoBom!